Procurar
Close this search box.

Schoenstatt
Movimento Apostólico

Sabe quem foi Fritz Esser? Recordamos o centenário de sua morte

By: Ursula Doll

Quem entra em um Santuário de Schoenstatt vê rapidamente o quadro de luz que brilha em torno da imagem da Mãe de Deus, que ali é venerada como “Mãe Três Vezes Admirável” (Mater Ter Admirabilis – MTA). Entretanto, nem todo visitante sabe o nome da pessoa que criou esse quadro de luz tão atrativo. Trata-se de Fritz Esser, cujo túmulo se encontra ao lado do Santuário de Schoenstatt de Weiskirchen, na diocese de Mainz, Alemanha. O dia 18 de janeiro de 2024 marca os 100 anos da morte de Fritz Esser. Por isso, hoje vamos conhecer um pouco mais sobre sua vida e seu legado na Obra de Schoenstatt.

A iniciativa nasce de um fervoroso amor a Maria

Fritz era um dos alunos do Pe. José Kentenich. Com saúde frágil, ele teve de lutar para alcançar as notas de sua classe. Esse jovem, que uma vez disse de si mesmo que era ‘dez vezes mais burro do que aparentava’, desenvolveu um amor ardente pela Mãe de Deus, por quem fez muitos sacrifícios e sempre quis ajudar para que seus colegas de classe gostassem de passar o tempo no Santuário, em Schoenstatt. Ele decorou a capelinha e aqueceu da melhor maneira possível, até mesmo plantou um pequeno jardim em frente ao Santuário.

Com muito esforço, revisões e orações, Fritz conseguiu passar no exame anual, apesar de sua saúde frágil. A gratidão pela ajuda da Mãe de Deus nos estudos, na formação de grupos durante a Primeira Guerra Mundial, o sucesso em seu zelo apostólico, a fidelidade à sua vocação, a ajuda na doença e os cinco anos de existência da Congregação Mariana, fundada em 19 de abril de 1914, foram a força motriz por trás de sua ideia de dar à MTA um quadro de luz. Ele recebeu apoio ativo dos Irmãos Palotinos. Com a ajuda deles, o quadro foi até equipado com luz elétrica.

Um Servo de Maria jamais perecerá

A inscrição: SERVUS MARIAE NUNQUAM PERIBIT (Um Servo de Maria jamais perecerá) pretende ser a confissão de sua jovem vida e a da Congregação Mariana, conforme indicado pelos dois números chanfrados “1914 – 1919”. Provavelmente essa moldura foi colocada no Santuário por ocasião do quinto aniversário da Congregação Mariana, no Domingo Branco (segundo domingo da Páscoa), 27 de abril de 1919.

A moldura de luz, feita originalmente de madeira, ficou pendurada no Santuário Original até 1934, quando se quebrou ao ser removida. O calor constante das lâmpadas certamente contribuiu para isso. As Irmãs de Maria de Schoenstatt já haviam feito uma cópia fiel dessa moldura antes de 1934, a qual foi pendurada na capela de sua casa em 8 de dezembro de 1928 e agora se encontra na casa das Irmãs Adoradoras, no Monte Schoenstatt. A nova moldura de luz foi feita em metal para o Santuário Original e agora pode ser vista em mais de 220 Santuários filiais em todo o mundo.

Uma imagem que emana luz

Quanta luz tem se irradiado dessa moldura em torno da imagem da Mãe de Deus nos Santuários desde então, dando esperança e conforto a inúmeras pessoas!

A Família de Schoenstatt em Mainz possui um pedaço de 10 cm de comprimento da moldura original que Fritz Esser serrou, que pode ser visto no Centro de Schoenstatt em Weiskirchen.

Túmulo de Fritz Esser junto ao Santuário de Weiskirchen

*Texto adaptado. Fonte: schoenstatt.de

Foto em destaque: Padres de Schoenstatt Nigéria

Share

with your loved ones

Related articles that may interest you