Procurar
Close this search box.

Schoenstatt
Movimento Apostólico

Irmãs de Maria na estação ferroviária de Zurique

By: Heinrich Brehm

Dezoito comunidades de ordens religiosas e comunidades eclesiais participaram da iniciativa “Mercado do Monastério” na Estação Central de Zurique -Klostermarkt em alemão- nos dias 5 e 6 de maio. Entre elas estava a comunidade das Irmãs de Maria de Schoenstatt da Suíça. As comunidades participantes puderam oferecer os produtos de seus monastérios no grande salão da estação central de Zurique e tiveram a oportunidade de conversar com o povo. As Irmãs de Maria convidaram os que vieram ao seu estande para fazer velas e montar rosários.

Pular de um trem para visitar o mercado do monastério

estação Zurique
Sala de oração em uma Tiny House sobre rodas (Foto: Schnider)

A iniciativa com a qual os participantes quiseram tornar mais visível a vida das comunidades religiosas em uma sociedade foi um sucesso total. Até 300.000 pessoas passam pelo entroncamento da estação de Zurique todos os dias. A televisão suíça SRF e outras mídias relataram extensivamente sobre o Klostermarkt. As barracas da comunidade estiveram lotadas nos dois dias e houve muito bom diálogo com os transeuntes.

O clima no local, segundo a Irmã de Maria de Schoenstatt M. Paula, de Quarten, era realmente muito bom. “Muitas pessoas nos disseram que haviam pulado um trem para visitar o mercado. Eles não queriam perder. Alguns disseram que a atmosfera era tão especial, sem comércio, sem confusão.” Em um relatório da “DRS aktuell” em 5 de maio, um homem idoso comentou que dificilmente havia experimentado um mercado tão positivo e alegre na Estação Central de Zurique. E a irmã de Maria M. Margarit, também de Quarten, sublinhou: “Ficou também a impressão de que era bom para os religiosos se encontrarem e conversarem informalmente”.

Fazendo rosários e decorando velas entre o café e a cerveja no monastério e a Tiny House de Oração

A oferta das Irmãs de Maria situava-se muito centralmente, em pleno mercado do monastério, onde se via algum artesanato dos conventos. Adjacente a ele havia um café do monastério, um estande de informações, um local de lanche e uma sala de oração, montada em um carrinho da Tiny House. No círculo externo do salão ficavam as barracas dos monastérios com artigos à venda, como cerveja, vinho monástico, bolos, tortas e pomadas de ervas, rosários, velas e muito mais.

Marienschwestern
A Irmã de Maria M. Monja dirige a montagem do rosário (Foto: Schnider) Uma vela decorada está pronta (Foto: Schnider)

“Fazer rosários foi um grande sucesso, tanto que estivemos ocupadas instruindo e acompanhando quase sem parar por dois dias”, diz a Irmã M. Monja Schnider. No total, foram decoradas 24 velas e montados cerca de 70 rosários grandes e 15 pequenos durante os dois dias. “Esses ofícios ofereciam a oportunidade de falar sobre muitas coisas”, continua a Irmã Monja. “Muitos queriam saber como vivemos. Algumas jovens perguntaram sobre nossa história vocacional e como é ser chamada por Deus para este caminho. Outras compartilharam suas preocupações. Queriam fazer um pequeno rosário para presentear as pessoas que estão doentes, necessitados ou mesmo moribundos, e nos pediram para rezar por eles ou por conhecidos e amigos”.

A Mãe Peregrina, presente nas mesas, ou a imagem da MTA, bem como as fotos e testemunhos de algumas Irmãs de Schoenstatt em um mural informativo, também foram ocasiões frequentes de conversa.

Perspectivas de una vida alternativa

“Enquanto há algumas décadas todos imaginavam algo sobre a vida religiosa e ingressar em uma ordem religiosa era considerado pelo menos um passo corajoso digno de reconhecimento, hoje muitas pessoas não têm ideia do que pode significar uma vida desse tipo”, escreve Sabine Zgraggen em uma contribuição do centro de mídia católico kath.ch. Os escândalos em torno do abuso espiritual e sexual obscureceram e distorceram o real significado de uma decisão tão vital. “Portanto: devemos tirar o chapéu para a coragem, a alegria e o poder de se mostrar ao público de uma maneira nova no saguão da estação, e mostrar um estilo de vida diferente.”

Marienschwestern
Momento de oração compartilhado pelos colaboradores da comunidade (Foto: Schnider)

Comunidades participantes

Estas são as comunidades que participaram do Mercado do Monastério:

Beneditino Dissentis; Irmãs Capuchinhas do Convento de Leiden Christi; Irmãs Cistercienses de Wurmsbach; Irmãs Dominicanas de Cazis; Beneditinos de Einsiedeln; Jesuítas suíços; Franciscanos suíços; Monastère du Carmel, de Le Paquier; Irmãs Missionárias do Precioso Sangue de Neubenken; Irmãs Dominicanas de Ilanz; Irmãs de Bruchmatt; Irmãs Beneditinas de Otmarsberg, Uznach; Betlehemiter de Immensee; Diakonissenhaus de Riehen; Irmãs Mallersdorfer da Alemanha; Spirituelle Weggemeinschaft de Rheinau; Movimento Fokolar e as Irmãs de Maria de Schoenstatt, de Quarten.

estação Zurique
Durante dois dias, no saguão da estação ferroviária de Zurique, aconteceu um mercado monástico organizado pela KOVOS, a Conferência das Comunidades Religiosas e Outras Comunidades de Vida Consagrada da Suíça (Foto: Schnider)

 

Fonte: schoenstatt.de

Share

with your loved ones

Related articles that may interest you

Uma Irmã de Maria nas salas do poder da Teologia

Durante séculos, os homens presidiram predominantemente o campo acadêmico da Teologia e os comitês-chave da Igreja, mas as mulheres têm um papel essencial a desempenhar. A Ir. M. Isabell Naumann, Irmã de Maria de Schoenstatt, partilha as suas reflexões sobre o seu caminho de mulher em vários papéis de liderança dentro da Igreja.

Read More »

Cuidar do doente, cuidando das relações – Com os olhos de Maria!

Irmã de Maria e médica, a Ir. M. Teresa Olivares, do Chile, fala sobre o que caracteriza os profissionais da saúde schoenstattianos, em sua missão de viver a Aliança de Amor no cuidado aos pacientes. E, neste Dia Mundial do Doente, ela relaciona o dia a dia dos enfermos com o 31 de Maio: uma missão “muito atual” e desafiadora.

Read More »