Procurar
Close this search box.

Schoenstatt
Apostolic Movement

Construindo pontes de esperança – Juntos pela Europa 2023

By: Eva e Erich Berger

Mais de 100 pessoas de seis países se reuniram no dia 6 de maio para o Dia da Europa de “Juntos pela Europa – Áustria” no Centro de Schoenstatt em Viena-Kahlenberg. A jormada, celebrada na véspera do Dia da Europa, que se comemora no dia 9 de maio, teve como lema “Construir pontes de esperança”. No início, Kathrin, de 20 anos, de Nuremberg, expressou seu sonho para a Europa em uma mensagem de vídeo: “É tão grande – nós, em diferentes países, somos tão diferentes – mas somos uma comunidade! Sou grata por isso. É emocionante poder conhecer as nossas diferenças.” Este Dia da Europa deve contribuir para tornar o sonho de uma “comunidade na diversidade” europeia uma realidade viva, pouco a pouco – através de contribuições concretas de muitas comunidades cristãs de tantos países.

construindo pontes
Lukas Mandl, Deputado do Parlamento Europeu (Foto: Christoph Fürböck)

Cada minuto de dedicação vale a pena

Lukas Mandl, deputado europeu, animou os participantes: “Cada minuto de compromisso vale a pena.” Relatou as tensões de seu trabalho parlamentar, no qual não podia concordar com tudo, mas como cristão sempre tentou defender a dignidade humana e respeitar a liberdade dos outros. A cooperação requer um trabalho árido e objetivo nas comissões, mas também precisa de inspiração espiritual. Confrontando com o discurso de Martin Luther King há 60 anos: “Eu tenho um sonho…”.

construindo pontes
Eva e Erich Berger entregam ao deputado europeu Lukas Mandl uma coleção de “Relatórios da Esperança de Construtores de Pontes” (Foto: Christoph Fürböck)

“Cooperação”, um dos termos favoritos de Lukas Mandl. Isso fortaleceu a Europa após a Segunda Guerra Mundial. As rachaduras no confronto entre Alemanha e França foram mais profundas do que podemos imaginar hoje. Não minimize o poder criativo da cooperação, que requer um trabalho comunitário potente, que não deixe de olhar para trás, mas construa pontes para construir o futuro. O deputado europeu Mandl prestou homenagem ao construtor de pontes Robert Schuman, ministro das Relações Exteriores da França, que estendeu a mão à Alemanha em um famoso discurso em 9 de maio de 1950. Seu conselho aos políticos serviu de orientação para a cooperação: “não dramatize – não revide – mantenha seu senso de humor”.

Eva e Erich Berger, da equipe organizadora da jornada, entregaram ao deputado europeu Lukas Mandl uma coleção de “Histórias esperançosas de construtores de pontes”, de 44 páginas, pequenas histórias da vida cotidiana cristã que podem inspirar coragem.

construindo pontes
Se presenteou várias “experiências de construtores de pontes” (Foto: Christoph Fürböck)

Em defesa de uma Europa aberta e tolerante

A variedade das intervenções dos palestrantes do dia gerou motivação. A Pastora Julia Schnizlein da Paróquia Evangélica da Cidade de Viena construiu pontes desde “Eu tenho um sonho” de Martin Luther King até Isaías e os nossos dias atuais: O que você faz aqui hoje tem significado. Se sonham com uma Europa unida e diversificada, onde as diferenças não nos dividem, mas são vividas como uma dádiva, então estão pintando um quadro de esperança. Se nos seus discursos e nas suas ações defendem uma Europa aberta e tolerante onde reine a fraternidade, então estão construindo uma ponte de esperança.

Mária Špesová, é membro do comitê de direção da Juntos pela Europa. Vem dos Cárpatos, de um lugar na Eslováquia onde conviviam alemães de Spis alemães, rutenos, gorais e ciganos, católicos romanos, católicos gregos e ortodoxos. Sua preocupação: Construir pontes entre gerações, construindo famílias em que estejam presentes irmãos, mães e pais e avós.

Hans-Peter Lang, é cofundador da “Mesa Redonda”, uma plataforma ecumênica que percorre o “caminho da reconciliação” entre uns e outros, sinaliza a necessidade de falar claramente sobre os fatos históricos. Devemos pedir perdão àqueles indiretamente afetados pela deturpação dos fatos históricos, mas também devemos levar tudo isso diante de Deus como um pecado – como o profeta Daniel uma vez fez por seu povo Israel: “Nós, seu povo e nossos pais pecamos…”.  (Daniel 9:1ss). “Ao pedir perdão, você se move muito espiritualmente e constrói confiança um no outro”, disse Lang. “Isso é crucial para continuarmos juntos no caminho da reconciliação.”

construindo pontes
Os moderadores Beate Mayerhofer-Schöpf e Imo Trojan (Foto: Christoph Fürböck)

Ajuda entre vizinhos constrói pontes

Marjeta Bobnar da Eslovênia, relata os frutos do projeto “Emprego de verão”, que constrói relacionamentos com pessoas carentes por meio de ajuda física em seu ambiente de vida e, claro, entre jovens de diferentes partes da Eslovênia. “A maneira mais fácil de construir relacionamentos uns com os outros é ser concreto: compartilhando água quando estamos colhendo batatas sob o sol quente, dando uma palavra de encorajamento quando estamos cansados.” Com energia e otimismo juvenis, eles tentam se conectar com os “empregadores”, as pessoas para quem trabalham e ajudam. “Para os jovens, ajudar seus vizinhos tem sido uma experiência incrivelmente positiva, e aqueles que recebem a ajuda sentem não apenas a ajuda concreta, mas também o entusiasmo e a conexão dos jovens”.

Suha Dejmek da Áustria, é filha de um palestino e de uma austríaca que cresceu no Kuwait. O projeto do seu coração: “KOMPASS – 100 mulheres, 100 oportunidades.” Apoia as mulheres em sessões individuais de coaching. Um comentário: “Me deu coragem e esperança, muito mais do que eu poderia esperar! Depois de deixar o escritório, me sinto preparada para o que vier, e por isso estou muito grata!” Algumas palavras de Ivo Andric: “De tudo o que o homem constrói e cria, não há nada melhor e mais valioso do que as pontes”.

Construir pontes com alicates

Gottfried Rießlegger de Innsbruck, aposta na coexistência ecumênica de uma paróquia católica e outra protestante, com suas próprias igrejas, e uma paróquia ortodoxa sem igreja. Duas igrejas, a 150 metros de distância uma da outra, separadas por uma cerca. O anseio de união foi um dia mais forte que os medos e reservas – dois alicates, um à esquerda, outro à direita – já havia um grande buraco na cerca – o início de um abençoado enriquecimento. A comunidade ortodoxa tem um kit de conversão em um grande baú – todos os domingos após o serviço católico, o biombo é colocado em frente ao altar. Construir pontes com alicates.

A transmissão do conhecimento como método de construção de pontes

Tibor Héjj da Hungria, constrói “pontes com a ajuda de um micro-ônibus”. Dia após dia, transporta pessoas com deficiência para centros de trabalho de diferentes empresas onde trabalham e convivem com pessoas saudáveis, ou seja, sem deficiência. A ideia: criar uma empresa que não tenha como foco os interesses do proprietário, mas dos trabalhadores que, de outra forma, não teriam emprego por causa de sua deficiência. Quer dizer, não agir como empresários normais para ‘conseguir’, muito menos ‘pegar’, mas usar a base da empresa para ‘dar’. E não para dar ‘peixe’, mas para dar ‘redes’ e ‘conhecimentos de pesca’. Invertendo a direção da viagem na ponte: não “conseguir”, mas “dar”.

Dagmar Penáz (Foto: Christoph Fürböck)

Dagmar e Petr Penáz de Brun, são construtores de pontes com alma e coração. Constroem pontes para pessoas com necessidades especiais, por exemplo, escalam o Monte Olimpo com cegos. Constroem pontes entre os cristãos, por exemplo, por meio de peregrinações ecumênicas na Morávia. Constroem pontes entre nações da monarquia, por exemplo, organizando estudantes tchecos para passar um semestre no Sacré-Coeur (Sagrado Coração) em Viena, criando uma parceria entre o Kyrill-Method-Gymnasium em Brun e o Ackermann-Gemeinde em Rotemburgo-Estugarda. E eles possibilitam que um artista, Klaus Kugler, nascido na Morávia e morando em Bade-Vurtemberga, exiba o trabalho de sua vida na Igreja Luterana Christus em Brun.

Conhecer-se faz desaparecer os preconceitos

Boris Petrovic da Bósnia e Herzegovina, tem experiências emocionantes com pessoas de seu próprio país. Num curso de alemão em Graz, conheceu a muçulmanos da Bósnia e Herzegovina que, como ele, vieram para Graz para frequentar a universidade. Apesar de serem do mesmo país, existe certa desconfiança entre croatas, sérvios e muçulmanos. “Crescemos como completos estranhos, separados uns dos outros. Aprendemos a língua alemã juntos, ficamos mais próximos. Nos sentamos juntos na aula. Escrevemos testes juntos e discutimos se ‘Auto’ é um substantivo masculino ou neutro. “Com o tempo, nos conhecendo melhor, alguns preconceitos desapareceram. Hoje, 20 anos depois, só posso dizer uma coisa. O amor, a tolerância e o respeito podem construir tais pontes entre as pessoas que ninguém pode derrubá-las.”

Os participantes compartilham suas experiências de construção de pontes em pequenos grupos de discussão (Foto: Christoph Fürböck)

Deus reúne o seu povo e habitará no meio deles

Para todos os participantes, este 6 de maio foi um dia intenso que lhes permitiu experimentar a atitude perante a vida da rede Juntos pela Europa: “Deus está reunindo o seu povo! Deus está iniciando, isso é algo perceptível. Está reunindo o seu povo de todos os países, de todas as igrejas, de todas as profissões, clérigos e leigos. Ele quer dar novos impulsos, criar uma nova união. Neste 6 de maio de 2023, Deus mostrou ao seu povo que é capaz de construir pontes. Pontes que também são utilizadas por aqueles que não reconhecem a Deus – uma injeção de coragem. Deus está reunindo seu povo – nós fazemos parte dele.

Ele habitará no meio deles.” Esta é a atitude perante a vida, a profunda convicção que caracteriza a espiritualidade do Movimento de Schoenstatt: Deus vive no meio de nós. Esta convicção se expressa no símbolo da Cidade Santa e é formulada na Sagrada Escritura no Apocalipse (21, 3): “Aqui está a morada de Deus entre os homens. Ele habitará no meio deles e eles serão o seu povo”; e o, Deus, estará com eles”. Uma ponte que une o céu e a terra.

construindo pontes
Coral “Voz Maravilhosa” (Foto: Christoph Fürböck)

Construindo pontes – concretas e sustentáveis

Uma contribuição muito especial que tornou tangível a construção de pontes foi o coral húngaro “Voz Maravilhosa”. Sua capacidade de fundir o céu com a terra é indescritível. Podemos ouvi-los em  www.voxmirabilis.hu e no YouTube.

“Foi muito lindo, adorei!” Esta frase, com a qual o imperador Francisco José encerrou as audiências, não deve ser a última. Não – a construção da ponte deverá continuar – também em 7 de maio e todos os dias depois. Primeiro, Rupert e Martin aprofundaram seu relacionamento com o Criador do mundo em um momento de adoração. Em seguida, cada participante refletiu sobre a resposta a três perguntas e as escreveu em um cartão: – Qual é o meu carisma? Com o que posso servir? – Os desafios do meu ministério – Onde quero receber apoio? Durante o tempo de adoração e em pequenos grupos de oração, foi rezado para o sucesso na construção de pontes além deste dia enriquecedor.

Qual é o meu carisma? Com o que posso servir? – Os desafios do meu ministério – Onde quero apoio? (Foto: Christoph Furböck)

Fonte: schoenstatt.com

Share

with your loved ones

Related articles that may interest you