Procurar
Close this search box.

Schoenstatt
Apostolic Movement

Ir. M. Isabell Naumann: uma entrevista

By: Ir. M. Elizabeth Foley

Ir. M. Isabell Naumann foi recentemente nomeada membro da Comissão Teológica Internacional. Ir. M. Isabell é atualmente Presidente do Instituto Católico de Sydney – a Faculdade Eclesiástica da Austrália, Nova Zelândia e Oceania – e Professora Titular de Teologia Sistemática, também Professora Adjunta de Teologia Sistemática na Universidade de Notre Dame, Austrália.

Sr.M.isabell Naumann

Tendo lecionado nos EUA e em vários países da Ásia e Europa, serviu e atua em vários conselhos e quadros acadêmicos nacionais e internacionais, incluindo dois mandatos no Pontifício Conselho de Cultura.
Como membro do Instituto Secular das Irmãs de Maria de Schoenstatt, ela ocupa atualmente o cargo de vice provincial para a Austrália e as Filipinas.

No dia 29 de setembro, o boletim do Vaticano publicou as nomeações de novos membros para a “Comissão Teológica Internacional”.Ir. M. Isabell foi entrevistada após o anúncio da nomeação.

Presumo que tenha recebido pessoalmente a nomeação antes do anúncio oficial.

Qual foi sua reação a esta notícia?
Sim, recebi a nomeação antes do anúncio oficial, e isso me pegou de surpresa. É certamente uma honra poder contribuir e colaborar no importante trabalho da Comissão.
A tarefa da Comissão Teológica Internacional é examinar questões doutrinárias de grande importância.
Falando de sua experiência e formação na região e culturas australiana/oceânica e asiática, qual questão doutrinária a senhora acha que é mais importante em nosso tempo?
Não é uma pergunta, mas perguntas interligadas sobre a antropologia teológica cristã em todas as suas dimensões, por exemplo, a dignidade humana e o trabalho humano, e naturalmente a área integral e complexa da cultura, baseada nos fundamentos da obra e dos ensinamentos de Cristo, no depósito da Revelação Divina, e como promovida pelo melhor de nossa tradição cristã. Esta é a tarefa perene, mas atualmente a mais urgente que a Igreja enfrenta.
A Igreja na Austrália está atualmente conduzindo um Concílio Plenário do qual a senhora é um dos membros.

Qual dos muitos temas propostos para o Plenário a senhora acha que seria relevante para a Igreja em geral?
De acordo com o Direito Canônico, um Concílio Plenário é de natureza pastoral e deve abordar “as necessidades pastorais do povo de Deus” (can. 445) e “o que parece oportuno” nas áreas de: aumento da fé, organização da ação pastoral comum, regulamentação da moral e observância da disciplina eclesiástica comum.
Embora a fé ainda seja uma influência proeminente na corrente dominante da vida católica, e embora seja também um fato que tanto a Igreja quanto a sociedade vivem do patrimônio espiritual e cultural de gerações passadas, há muitos que se identificam com “nenhuma religião em particular”, e outros podem se considerar vagamente cristãos, mas não se identificam com nenhuma denominação em particular, ou comunidade eclesiástica local.
Desta perspectiva, a área de maior preocupação seria a da Fé, Identidade de Fé e Compromisso de Fé porque, principalmente, estamos diante de uma crise de fé na Austrália.
A Igreja Local tem forças e dons para levar a esta tarefa urgente, e estou convencida de que o Concílio Plenário proporcionará uma plataforma apropriada para abordar esta importante questão de uma forma eclesial autêntica de diálogo respeitoso e genuíno discernimento espiritual sob a orientação do Espírito Santo.

A senhora pode nos dizer um pouco mais sobre a importância do Concílio Plenário para a Igreja australiana?
Há várias preocupações que compõem a agenda do Concílio, todas de importância para a Igreja na Austrália. Estas incluem não apenas questões de administração e estrutura, mas também, muito importante, conversão, oração e formação.
Em relação à questão da administração da Igreja, fui membro de um grupo de especialistas que revisaram a administração da Igreja, que foi solicitada pela Conferência dos Bispos Católicos e Religiosos Australianos em resposta à Comissão Real de Respostas Institucionais ao Abuso Sexual de Crianças. Esta equipe de projeto conduziu a revisão “à luz da eclesiologia católica” (princípios teológicos fundamentais para a natureza da Igreja). As conclusões e recomendações desta revisão foram publicadas em 1 de maio de 2020 sob o título: “A Luz da Cruz do Sul: Promoção da Administração Corresponsável na Igreja Católica na Austrália.” É claro que muitas destas recomendações fornecerão material significativo para apoiar as discussões durante o Concílio Plenário.
As questões da agenda relacionadas à formação incluem assuntos de formação de sacerdotes. Eu fui a Reitora de Estudos no Seminário da Arquidiocese de Sydney durante 11 anos e, portanto, juntamente com a pedagogia de nosso fundador e esta experiência, espero poder contribuir especialmente neste campo de pesquisa.

Qual a senhora acha que poderia ser sua contribuição pessoal para a Comissão Teológica Internacional como Presidente do Pontifício Instituto Católico de Sydney e como membro do Instituto Secular das Irmãs de Maria de Schoenstatt?
Minha contribuição pessoal certamente será inspirada pelo carisma de nosso Fundador e pela riqueza e profundidade de nossa espiritualidade de Schoenstatt, mas também pelos muitos anos de meu ensino acadêmico, pesquisa e interpretação teológica aplicada em liderança acadêmica e administração.

Obrigado, Ir. M. Isabell, por seus pensamentos e sua visão para o futuro. Que nossa Mãe de Deus implore os dons do Espírito Santo para a senhora e que nosso Fundador interceda por todas as suas necessidades.

Share

with your loved ones

WhatsApp
Facebook
X
Print
Email