Procurar
Close this search box.

Schoenstatt
Movimento Apostólico

Mario Hiriart, um leigo com cerne capaz de formar de um santo

Pe. Eduardo Aguirre

Mario Hiriart: Venerável Servo de Deus

A causa da beatificação de Mario Hiriart na primeira fase diocesana foi oficialmente aberta em Santiago do Chile em 20 de outubro de 1998. Foi encerrado em 2 de setembro de 2004, e toda a documentação foi enviada a Roma para a Congregação para as Causas dos Santos.

A segunda etapa, a fase romana do processo durou vários anos e finalmente, em 21 de fevereiro de 2020, o Papa Francisco declarou Mario Hiriart “Venerável Servo de Deus”. Isto significa que a Igreja considera que Mario:

  • viveu, em nível pessoal, familiar, profissional e apostólico, permitindo-se ser animado pelo Espírito Santo.
  • Em todas as suas ações ele foi guiado pela fé, animado pela caridade e sustentado pela esperança.
  • praticou as virtudes cardeais e as outras virtudes de maneira exemplar e heroica.
  • desenvolveu as virtudes cristãs de forma constante, fiel e alegre, de acordo com seu estado de vida e de acordo com suas tarefas. Tudo isso em meio aos desafios e dificuldades da vida cotidiana e do ambiente no qual ele foi chamado a agir.
  • viveu tudo de uma maneira extraordinária e em maior medida do que qualquer bom cristão em sua própria condição.

 

Mario Hiriart: viveu a Aliança de Amor

A Igreja também reconhece e afirma que Mario tem “as feições de um santo” e que sua vida é exemplar para todo cristão, especialmente para os leigos, no meio do mundo.

Atualmente, por intercessão de Mario, é necessário apenas um milagre para que ele seja declarado Beato. Então, com um segundo milagre, ele poderia ser canonizado e celebrado como um santo na Igreja universal.

O reconhecimento pela Igreja do caráter exemplar de Mario para nosso tempo nos oferece um modelo claro de vida leiga no meio do mundo. É também um grande incentivo para aspirar aos ideais e ao compromisso com a missão de acordo com o carisma de Schoenstatt.

Mario Hiriart viveu a Aliança de Amor em profundidade, amadurecendo em seu amor por Maria, a quem veio para se entregar com um amor profundo, caloroso, íntimo, filial, a ponto de oferecer sua vida. Ele estava profundamente enraizado no Santuário de Bellavista, que se tornou seu lar espiritual e a fonte de graças em sua luta pela santidade.

Como expresso acima, Mario identificou-se plenamente com o carisma de Schoenstatt e assumiu-o como a missão de sua vida. Isto o levou a se consagrar como leigo nos Irmãos de Maria, procurando a cada passo ser um instrumento nas mãos da Mãe de Deus.

 

A santidade leiga e apostólica no mundo de hoje

Como resultado, Mario Hiriart ganhou uma percepção clara dos desafios de seu tempo e da missão da Igreja de evangelizar a cultura de hoje. Ele se identificou plenamente com a visão profética do Padre Kentenich, que afirma que o tempo presente requer santos leigos, que por suas ações e compromisso santificam a sociedade e a cultura.

À medida que aprendeu mais profundamente sobre a espiritualidade e pedagogia de Schoenstatt, sua admiração pelo Pai Fundador cresceu – que conheceu pessoalmente em 1948 e nas seguintes visitas do Padre Kentenich no Chile – e a quem veio a considerar uma figura carismática e profética para nosso tempo. Na medida em que se vinculou pessoalmente a ele, ele se reconheceu como seu discípulo e filho espiritual.

Pouco antes da morte de Mário em Milwaukee, o Padre Kentenich comentou ao Padre G. Boll: “Mário é um homem extraordinário, eu diria que ele é o ideal do homem masculino, aquele que queremos formar em Schoenstatt; claro na inteligência, forte na vontade e com uma profundidade de vida afetiva e, sobretudo, com uma profundidade de alma, penetrado pela graça de Deus”.

Visita também: Instituto Secular dos Irmãos de Maria de Schoenstatt (em Inglês)

 

Share

with your loved ones

Related articles that may interest you