A abertura aconteceu na Arquidiocese de Santiago, do Chile. O sacerdote chileno, agora chamado “Servo de Deus” pela Igreja, faleceu em 18 de dezembro de 2007.

A cerimônia solene foi presidida pelo Cardeal Arcebispo de Santiago, Dom Celestino Aós, que constituiu e nomeou o Tribunal responsável pelo Processo Diocesano:

Nesta cerimônia foram lidos os documentos pertinentes à abertura do processo, empossados ​​os membros do Tribunal e foi lida a ata que determina a abertura do processo na sua fase diocesana.

A fase diocesana é a primeira etapa de um processo de canonização na Igreja, com a qual se realiza uma investigação exaustiva sobre a vida, as virtudes e a fama de santidade do Servo de Deus. Nessa fase, são recolhidos testemunhos de pessoas que o conheceram, dando provas da sua vida e das suas virtudes. Seus escritos também são investigados, suas obras são examinadas e as circunstâncias históricas que ele viveu são verificadas.


Este é um momento de especial alegria e gratidão para todos nós que pudemos testemunhar que o Pe. Hernán Alessandri foi um sacerdote exemplar, que viveu autenticamente os valores evangélicos e cristãos nos tempos de hoje. Em Pe. Hernán aparece um testemunho vivo e alegre de um padre fraterno, entregue a Cristo, com um amor a Maria que, do Santuário, o fez audaz para servir incondicionalmente os mais necessitados, especialmente os pequenos vulneráveis, em iniciativas muito diversas.

Uma característica relevante da sua vida sacerdotal foi o seu grande amor e serviço incansável à Igreja, Povo de Deus, mariana, pobre, familiar e peregrina. Muitos ainda se lembram dele como o “padre na bicicleta”. Ele costumava se locomover em seu veículo de duas rodas pelas ruas dos bairros da popular Zona Oeste de Santiago. Além disso, soube sempre colocar à disposição a sua reflexão teológica, lúcida, pedagógica e em sintonia com os sinais dos tempos.

Sem dúvida, é um presente para a Igreja e para a Família de Schoenstatt. Acompanhemos este Processo com a nossa oração, ofertas ao Capital de Graças e séria aspiração à santidade de vida na força da nossa Aliança de Amor.

processo de Beatificação

Quem é o Pe. Hernan Alessandri Morandé?

Nascido em 22 de fevereiro de 1935, Hernán Alessandri Morandé estudou no colégio Sagrados Corações de Alameda, onde sempre se destacou como o melhor aluno. Mais tarde, entre 1953 e 1956, estudou Direito na Universidade do Chile.


Contrariando as esperanças de sua família, ele decide abandonar a faculdade e seguir o caminho sacerdotal. Assim, em 1º de abril de 1957, ingressou no noviciado dos Padres de Schoenstatt.

Recém-ordenado, Pe. Hernán foi trabalhar ao serviço dos habitantes de Carrascal. “Descobri toda a riqueza religiosa das pessoas simples, sua capacidade de sacrifício, sua luta para ajudar os filhos a progredirem”, disse com alegria depois de passar 14 anos com eles. Para o Pe. Hernán, as condições materiais e físicas eram essenciais para o pleno desenvolvimento das pessoas como filhos de Deus, por isso organizou refeitórios infantis e oficinas de artesanato para mulheres.

Corria o ano de 1983 e a crise econômica obrigava muitos rapazes e moças a irem às ruas, motivo pelo qual o padre apelou à generosidade dos seus contatos e conseguiu uma casa onde chegaram as primeiras nove meninas.

Pe. Hernán foi um sacerdote exemplar em todos os sentidos. Deu inúmeras conferências e escreveu centenas de artigos, principalmente relacionados à Pastoral Familiar, até que sua saúde o permitiu. Seu último livro, escrito com um esforço impressionante devido às suas já deterioradas condições físicas, intitulava-se: “A Proposta Evangelizadora de Schoenstatt”, uma obra de síntese, na qual descreve as convergências do pensamento do Papa João Paulo II e o carisma do Pe. José Kentenich.

 

Poucos sabem que o Pe. Hernán foi o único chileno que participou como teólogo no Vaticano, pois ele não o mencionava, a menos que fosse estrit

amente necessário. Ele também era consultado pelos bispos chilenos, por meio da Conferência Episcopal. Participou ativamente da Conferência Episcopal Latino-Americana (Puebla, México, 1979) como assessor, professor e membro da equipe de reflexão. Foi um dos redatores do documento final da Conferência e a ele se atribui especificamente o capítulo dedicado à família. Na verdade, foi ele quem criou as Missões Familiares.

Aos 60 anos, sua doença começou a agravar-se gradualmente, razão pela qual ela teve que se afastar do trabalho em sua amada obra María Ayuda. Após viver a sua longa e dolorosa doença, durante a qual permaneceu unido ao seu trabalho por meio da oração, Pe. Hernán Alessandri foi ao encontro do Senhor no dia 18 de dezembro de 2007, Dia da Aliança. Os seus restos mortais repousam no cemitério dos Padres de Schoenstatt, à sombra do Santuário.

Seus cargos eclesiais

1970: Assessor teológico da Conferência Episcopal do Chile

1971: Professor de Eclesiologia para bispos e sacerdotes, organizado pela Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano (CELAM).

1979: Assessor teológico da Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano em Puebla e membro da Equipe de Reflexão do CELAM. Professor de Eclesiologia no Pontifício Seminário de Santiago do Chile.

1980: Assessor Teológico da Comissão Nacional de Pastoral Familiar da Conferência Episcopal do Chile.

processo de Beatificação
Texto com informações da Revista Vínculo e do site padresdeschoenstatt