Procurar
Close this search box.

Schoenstatt
Movimento Apostólico

O que há sobre o Pe. Kentenich 54 anos após sua partida

By: Enrique Soros

Cruzes na vida do Pe. Kentenich

Na homilia, o P. Aguirre começou por aludir à celebração do dia anterior, em que se comemorou a Exaltação da Cruz, e à do dia 15 – Maria junto à Cruz; Nossa Senhora das Dores – e associou ambas às cruzes que o Pe. Kentenich carregou em sua vida, comentando que “a cruz, de alguma forma, está sempre presente na vida de cada cristão, com maior ou menor intensidade; é também uma condição para nossa redenção. E se hoje tivermos presente a vida do nosso Pai Fundador, Padre Kentenich, e o dia da sua Páscoa, da sua chegada ao céu, sendo chamado precisamente no dia da Virgem das Dores, sabemos que na sua vida também o mistério da Cruz esteve sempre presente. Para viver e oferecer-se radicalmente na realização dos desígnios de Deus, teve que assumir todas as cruzes das quais Deus o fez participar”.

Campo de concentração e o Santo Ofício

E continuou: “Não podemos contar aqui todas as cruzes que experimentou, mas sabemos que sua paixão era fazer a vontade de Deus. Ele sempre discerniu qual era a vontade de Deus para realizá-la sem hesitação. E essa fidelidade e empenho em fazer a vontade de Deus o levaram muitas vezes a passar por momentos difíceis e dolorosos da cruz, como o campo de concentração de Dachau, e depois, sobretudo, o confronto com a Igreja, com o Santo Ofício. 14 anos de exílio, separado de seu trabalho, de sua família e de sua pátria, com muitas incompreensões e difamações, até que pôde retornar libertado em 1965 ao seio de sua Família de Schoenstatt”.

Acusações que geram confusão e dor

Por ocasião de uma visita canônica a Schoenstatt pela Diocese de Tréveris (1949) e posteriormente na Visita Apostólica do Santo Ofício (1951-53), um grupo de algumas irmãs da Comunidade das Irmãs de Maria de Schoenstatt (que naqueles anos já eram cerca de 1.800) queixaram-se ao visitante, argumentando que se havia gerado um culto ao Pe. Kentenich na comunidade das Irmãs, que de sua parte havia abuso de autoridade, que ele era manipulador e que impedia a liberdade de consciência das irmãs.

No ano de 2020, quando foram abertos os arquivos do Santo Ofício desde a época do Papa Pio XII, essas acusações, que já haviam chegado ao Santo Ofício durante a Visita Apostólica, e que também haviam sido posteriormente avaliadas durante o processo diocesano de beatificação do Pe. Kentenich (e que estavam sob o sigilo da causa) foram tornadas públicas.

Sobre o assunto, Aguirre expressa que

“essa cruz está presente em nossa família de Schoenstatt hoje. Há dois anos, uma historiadora que fazia estudos nos já mencionados arquivos desclassificados do Santo Ofício, publicou denúncias e fez reviver algumas das acusações contra o Pe. Kentenich, da época das Visitações. Mas ela foi mais longe; retomando essas acusações, publicou um livro onde chegou a acusar o Pe. Kentenich de abuso sexual. Sabemos e podemos provar que essas acusações são exageradas, descontextualizadas, tendenciosas e falsas. Mas, mesmo assim, prejudicaram, causaram muita dor em nossa Família de Schoenstatt, confusão, indignação, e também geraram insegurança e afetaram a causa da canonização do Pe. Kentenich”.

O Santo Ofício nunca o acusou de um crime moral

O postulador afirma sobre as acusações que “sabemos, e isso também pode ser demonstrado nos documentos que estamos estudando, que o Pe. Kentenich não foi acusado em nenhum assunto relacionado à imoralidade. Ele nunca foi acusado de qualquer crime contra a moralidade. Investigar e julgar crimes contra a moralidade e abuso sexual fazia parte das atribuições e responsabilidades do Supremo Tribunal da Igreja, que era o Santo Ofício. Mas nunca houve nenhuma acusação formal contra o Pe. Kentenich nesse sentido. Isso pode ser demonstrado com bastante facilidade, porque temos os documentos correspondentes do Santo Ofício. No entanto, essa situação nos obrigou a investigar muito mais detalhadamente como foi realmente a história das visitações e do exílio. A verdade é que tudo isso veio para revigorar o processo de canonização do Pe. Kentenich”.

O processo de canonização foi suspenso

Sobre o estado da causa da canonização de Pe. Kentenich, Aguirre explica que “em maio deste ano, Dom Stephan Ackermann, bispo de Tréveris, diocese onde está ocorrendo o processo de canonização de Pe. Kentenich, – porque é a diocese a qual pertence Schoenstatt -, decidiu suspender sua causa.

O Bispo Ackermann é responsável por lidar com casos de abuso sexual na Alemanha, perante a Conferência Episcopal Alemã. Cabe a ele enfrentar esses casos diante da imprensa e se preocupar com os processos pertinentes. Por isso, como resultado dessas acusações recentemente publicadas, houve uma pressão para que ele se distanciasse do processo do Pe. Kentenich. E assim ele decide suspender a causa, o que significa que não vai mais tomar iniciativas para promovê-la, nem investir esforços nela por enquanto.”

O processo segue aberto

E continua:

“Mas, Dom Ackermann ressalta, isso não significa que a causa esteja encerrada, mas que por enquanto ela permanece em estado de suspensão, de “stand by”, de descanso, até que as investigações sejam apuradas as acusações que foram publicadas e tudo esteja esclarecido satisfatoriamente. Quando isso acontecer, provavelmente será possível retomar a causa, e isso significará que ela poderá chegar a Roma. O bispo Ackermann incentiva a investigação completa e a busca das respostas necessárias”.

Deve-se esclarecer que esta é a mesma postura que o Movimento de Schoenstatt tem, e que sua Presidência Geral mantém desde o início das publicações mencionadas.

Frutos e consequências positivas

Kentenich

Sobre as consequências da publicação das referidas denúncias, o postulador afirma que “apesar de ter sido um processo doloroso, após dois anos podemos verificar que há frutos; que há várias consequências positivas de tudo isso que estamos vivendo e que podemos olhar para frente com otimismo.

Na escola do Pe. Kentenich, como seus discípulos e seguidores, devemos sempre nos perguntar: o que Deus quer nos dizer com tudo isso? Por que Deus permitiu essa situação, essas acusações e toda essa comoção que ocorreu diante da causa? Obviamente, não é que Deus tenha “esquecido” isso. Podemos dizer que de acordo com os planos de Deus, Ele permitiu que essas acusações e suas consequências acontecessem. (…) Perguntamo-nos com um olhar de fé: Quais são os planos de Deus? O que ele quer nos dizer? E podemos ver vários frutos. Para começar, tudo isso fez com que a figura de nosso Pai Fundador estivesse mais presente na consciência, na preocupação e no coração de nossa Família de Schoenstatt”.

Nesse sentido,

“uma das primeiras reações da Família de Schoenstatt em muitos países foi a formação de grupos de oração, que já vinham se desenvolvendo, mas que ganharam muito mais força com essas publicações. Grupos que rezam pela causa do Pe. Kentenich todos os dias, oferecem orações, sacrifícios, registram as orações ouvidas etc.”

Por que Kentenich não era um diplomata…

Sobre os passos dados pelo Movimento de Schoenstatt, Aguirre expressa que

“tudo isso nos exigiu uma investigação profunda. Diferentes equipes de pesquisa e elaboração foram criadas e estamos divulgando os documentos cujo acesso público só está disponível a partir de 2020. Tudo isso nos ajuda a entender melhor a pessoa do Pe. Kentenich e entender melhor por que ele jogou de forma tão decisiva, colocando em risco toda a sua obra, por causa dos conteúdos e valores que ele considerava serem questionados em sua fundação; perceber melhor por que Deus permitiu esse confronto com o Santo Ofício; por que o padre não foi mais diplomático e deixou as acusações passarem, para evitar mais conflitos. Por que sempre respondeu, embora com respeito, mas sem ‘papas na língua’? Por que o Pai arriscou a Obra? – a Igreja poderia tê-la proibido”.

Desafios ante um carisma

Diante dos desafios de Schoenstatt diante do carisma de Kentenich, Pe. Aguirre acredita que

“isso nos leva ao mais importante. Por um lado, conhecer bem a história e que ela seja elaborada, mas sobretudo aprofundar o carisma do Pe. Kentenich; compreender melhor a graça que Pe. Kentenich recebeu e que constitui a missão com a qual deve contribuir para a renovação da Igreja. Um carisma é apenas isso: uma graça, um dom de Deus, que implica uma missão.

E para que um carisma se torne fecundo na Igreja, precisa de discípulos que se identifiquem com ele, que aderem a esse carisma, que assumam a responsabilidade de torná-lo fecundo na Igreja. Um carisma é transmitido vitalmente através do vínculo com aquela figura profética, com aquele fundador que Deus escolheu.

E conclui:

“Queremos nos aprofundar no carisma do Pe. Kentenich, porque esse é o carisma de Schoenstatt. Então, por quais coisas temos que lutar? O que deve nos caracterizar para que a Igreja aceite e valorize este carisma e para que se torne frutífero para a renovação da Igreja do terceiro milênio?

Obviamente, estamos interessados ​​em retomar o processo do Pai, mas esse não é o objetivo mais importante ou primordial de nossos esforços. Penso que Deus quer que nos renovemos sobretudo na nossa identidade, na nossa missão, como discípulos do Pe. Kentenich, e que, redescobrindo a sua figura profética e seguindo o seu testemunho de santidade, nos tornemos fecundos para a Igreja”.

“Tenho plena confiança de que as coisas vão se esclarecer.”

Sobre o possível desfecho das controvérsias em questão, o postulador compartilha que

“isso significará que a causa será reativada em Tréveris em algum momento. Não tenho dúvidas de que as coisas serão esclarecidas com toda transparência e verdade, e que o Pe. Kentenich ficará livre dessas acusações. Mas o importante é que nos sintonizemos com os planos de Deus, com o que Ele quer alcançar com o que estamos vivendo: que nos identifiquemos mais fiel e decididamente, com audácia e dedicação, à nossa missão carismática.

Outro dos frutos importantes que ocorreu é que as comunidades de Schoenstatt trabalharam muito mais coordenadas; houve uma grande solidariedade entre os diferentes grupos de pesquisa que se formaram. Um grupo de pesquisadores externos a Schoenstatt também foi formado para tratar e elucidar a veracidade ou falsidade das denúncias levantadas. E isso é muito bom, porque não tememos que se encontre algo que prejudique a idoneidade moral do Pe. Kentenich. Tenho plena confiança de que as coisas vão se esclarecer. O que nos interessa é que a verdade seja conhecida com toda transparência.”

Um Padre Kentenich mais humano

Kentenich

E continua:

“Tudo isso nos ajudou a aproximar-nos do Pai e Fundador de uma forma mais objetiva e humana: para deixar claro que ele não era infalível, que estava errado, que não era perfeito e que não foi santo desde sempre, desde o ‘berço’. Essa seria uma imagem muito irreal. Foi uma pessoa que passou – como todo mundo – por um processo de vida, no qual passou por muitas cruzes, provas e muitos momentos difíceis. Nesse processo e com esses testes, ele se santificou e se tornou um santo no final de sua vida”.

 

Tudo isso é positivo. Olhar que transcende o momento

E colocando esses momentos de Schoenstatt em um amplo contexto da história, Aguirre concluiu afirmando que “tudo isso que se originou como resultado da publicação dessas acusações foi positivo. Sabemos, à luz da fé prática, que devemos olhar para frente e nos perguntar quais passos devemos dar, o que Deus quer nos dizer com tudo isso. E se estivermos atentos às lições da história de Schoenstatt, da vida do Pe. Kentenich, saberemos que há momentos especialmente difíceis nessa história; momentos de incompreensão, difamação e perseguição. Isso nos faz pensar que estamos vivendo agora um estágio semelhante de mal-entendidos e acusações. Poderemos celebrar, talvez, também um terceiro “retorno” do Pe. Kentenich. Um terceiro “milagre da véspera de Natal”: depois do campo de concentração, depois do exílio, e agora, a reabilitação definitiva do Pai para nossa Família e a Igreja”.

————–

Nota: Os textos citados pertencem à já mencionada homilia do Pe. Eduardo Aguirre. Eles foram revisados ​​por seu autor.

 

Share

with your loved ones

Related articles that may interest you