Procurar
Close this search box.

Schoenstatt
Movimento Apostólico

Mensagens do Pe. Kentenich para os enfermos

By: Schoenstatt Brazil

Para Ir. M. Emilie: “Procure viver a vinculação ao sofrimento no sentido da santidade da vida diária”

Valuable words

Ir. M. Emilie Engel sofreu por muitos anos com as consequências da tuberculose. Enquanto permaneceu reclusa, numa clínica de recuperação, recebeu essas mensagens do Pe. José Kentenich:

“Certamente a senhora deve ter muitas dores. Predisponha-se agora para um tratamento de repouso absoluto que, provavelmente, vai requerer um tempo mais prolongado. Não se perde nada se, com isso, causamos maior alegria ao Pai Celeste”

“Que pretende o bom Deus com sua enfermidade? Seguramente deve estar no plano como o melhor para a senhora e a Família [das Irmãs]. Procure viver a vinculação ao sofrimento no sentido da santidade da vida diária. Assim, irá se purificando e se tornará mais sobrenatural, mais bondosa e atrairá o amor e a solicitude de Deus sobre nós.”

“É verdade que quando se é assinalado por um sofrimento e solidão tão grandes, a vida recebe uma tonalidade totalmente diferente. Neste sentido, quase me sinto tentado a invejar seu estado. Que passe bem! Torne-se novamente simples e singela, senão o bom Deus não terá alegria.”

“É um consolo, para mim, saber que a senhora… apesar de toda a distância física, está espiritualmente sempre ali onde o bom Deus a quer. Agradeço-lhe por tudo o que significou para a Família [das Irmãs] nos últimos anos. Permaneça simples e singela. A senhora sabe quão fino e, ao mesmo tempo, quão forte é o fio do qual pende sua vida de aspiração à santidade: ‘Se não vos tornardes como as crianças’”.

Para Fritz Esser: “A única norma é o seu ideal pessoal”

valuable words

Em novembro/dezembro de 1918, mais uma vez Fritz Esser adoeceu gravemente, devido à pneumonia. Por vários dias, esteve entre a vida e a morte. Num momento um pouco mais calmo, o Pe. Kentenich o visitou. Nessa ocasião, Fritz perguntou-lhe: “Padre, vou morrer ou devo rezar por minha saúde?” A resposta foi: “Reza por tua saúde”. Obediente e confiante nesta palavra, dirigiu-se em oração à Mãe de Deus – e foi atendido.

Mais tarde, porém, a doença voltou a agravar-se. Pe. Kentenich escreve, então, a ele: «Caro Fritz, como devo responder à sua carta? Deus o guiou pela noite escura da alma. Foi bom! Agora, com mais facilidade, você pode voltar àquela simplicidade e sinceridade no aspirar à virtude, como outrora em Schoenstatt. Faça-o logo. Isto significa em concreto: Não se deixe abalar espiritualmente por tudo o que você ouve e lê. A única norma para você é o seu ideal pessoal. De resto, permaneça aquele filho despreocupado nas mãos de nossa Mãe celestial, como você era em Schoenstatt. A Mãe cuidará! O amor a Maria foi o fundamento da sua santificação. Quando o fundamento é abalado ou descuidado, o edifício todo está em perigo. Tudo o que você recebe para a vida espiritual facilmente poderá assimilar no seu ideal pessoal e no amor a Maria… Pode estar seguro da minha oração junto à Mãe. Peço o mesmo de você. Agradeço a você e aos outros noviços as contribuições ao Capital de Graças. Cordial saudação e bênção sacerdotal, em amor sincero, J. Kentenich.»

Para Fritz Kühr: “Este (seu) sacrifício é mais fecundo do que toda a minha atividade pessoal”

Mensagens do Pe. Kentenich

O Dr. Friedrich Kühr, ao receber o diagnóstico de um grave câncer no fígado, sem chances humanas para a recuperação, escreveu contando ao Pe. Kentenich sobre isso. Em 18 de agosto de 1950, Fritz recebeu a resposta do Pe. Kentenich:

“Que posso te dizer agora? Tudo que as suas poucas linhas dizem, queria eu te escrever com outras palavras. É a mesma atitude da ‘Carta Branca’ e ‘Inscriptio’, que o ajudou a suportar os graves sofrimentos, em Dachau. Agradeço a Deus, agradeço também a ti que ficaste fiel a esta tua maneira de ver as coisas, agradeço-te, principalmente, que o fogo do teu amor por Schoenstatt, apesar de todos os teus outros interesses, continue tão forte, que ofereces tua vida pela Obra de Schoenstatt. Sei que levas a sério, sei também que este sacrifício é fecundo, mais fecundo que toda a minha atividade pessoal. Deus te abençoe por isso.
[…] Mais do que para ti, a situação deve ser pesada para tua estimada esposa. Espero que teu exemplo também a eleve, para que se liberte cada vez mais de tudo o que é mundano. Uma atitude heroica assim é perfeitamente compatível com o fato de sentidos sofrimentos e as dores que não podem ser evitados. Primeiro, a Mãe de Deus teve de ser Mater Dolorosa, antes que fosse Gloriosa”.

⇒ Leia também: Oração pelos enfermos

https://schoenstatt.org.br/

Referências:
→ Ir. M. Emilie Engel
WOLFF, Margareta. Meu sim é para sempre. Sociedade Mãe e Rainha

→ Fritz Esser
BAUER, G. M. Servus Mariae nunquam peribit. Publicado pelo Instituto Secular dos Irmãos de Maria de Schoenstatt, 1978.

→ Friedrich Kühr
MARTIN, Norbert. Dr. Friedrich Kühr – uma biografia.

Share

with your loved ones

Related articles that may interest you