Procurar
Close this search box.

Schoenstatt
Movimento Apostólico

Em Lisboa o ano jubilar está apenas começando

By: Pe. Juan Barbudo

Como Família de Schoenstatt de Lisboa, estamos a caminho de celebrar o jubileu dos 50 anos de vida do primeiro Santuário em Portugal. O Santuário de Schoenstatt de Lisboa foi benzido a 15 de setembro de 1974.

Hoje, quase 50 anos depois, a Família de Schoenstatt da capital portuguesa quer conhecer melhor esta história sagrada, torná-la sua e projetá-la para as gerações futuras. Por isso, o lema do Movimento deste ano é: “Fieis à origem, Cenáculo da Família do Pai”.

Nesse espírito e com o jubileu em mente, celebrámos a nossa Jornada de Outubro da Família de Lisboa, no dia 21 de outubro. Reunimo-nos no Colégio de São Tomás, em Família, para conhecer e aprofundar a vida do nosso Santuário e a sua missão. Para isso tivemos o privilégio de contar com o testemunho de três casais fundadores que nos ajudaram a entrar na etapa fundacional do Santuário de Lisboa.

A abertura da Porta Santa marcou o início do ano jubilar

O ano jubilar foi aberto no dia 15 de setembro com o gesto de abrir a porta santa do Santuário. Durante este ano queremos dar graças por estes 50 anos de vida do nosso Santuário, por tantas graças e bênçãos derramadas a partir deste lugar santo.

Aqui, neste Santuário, a nossa querida Mãe de Deus quis estabelecer o seu trono de graças e escolher os seus instrumentos para formar uma Família unida e fiel que, ao longo de todos estes anos, fez sua a missão do nosso Pai e Fundador, Pe. José Kentenich, e a difundiu por todo o Portugal.

A geração fundadora no palco

Os jovens foram os primeiros a se apaixonar

Durante nossa Jornada de Outubro, em primeiro lugar, o casal Teresa e Celso Correia falou-nos do PORQUÊ: Por que um Santuário em Lisboa? Eles recordaram de onde veio o desejo de ter um Santuário de Schoenstatt na cidade e como surgiu uma Família com um forte desejo de ter um lar à volta de uma Mãe e de um Pai.

O casal Correia recorda que foram as Senhoras de Schoenstatt que chegaram a Lisboa com o objetivo de ajudar a fundar Schoenstatt em Portugal. Foi a sua primeira fundação fora da Alemanha. Ao mesmo tempo, os Padres Palotinos vieram apoiar esta incipiente fundação e acompanhar os primeiros grupos de estudantes universitários que tinham surgido com a ajuda dos seminaristas chilenos em Friburgo.

Na década de 1960 formaram-se os primeiros grupos da Juventude Masculina e da Juventude Feminina. Os jovens foram os primeiros a apaixonar-se por Nossa Senhora e por este novo carisma tão inovador para a Igreja portuguesa, porque lhes falava de um Deus Pai cheio de misericórdia e de uma Igreja que é uma Família à volta de um Pai e de uma Mãe.

Não faltaram provações neste primeiro período de fundação, pois Schoenstatt era ainda um carisma novo e desconhecido em Portugal. No entanto, esta iniciativa divina estava a tomar forma e a concretizar-se numa jovem família de Schoenstatt cheia de desejos e com uma consciência de missão muito forte. Com a ajuda da nossa querida Mater, as provas foram sendo superadas.

Como e para que um Santuário?

Chegamos então ao COMO: Como é que o novo Santuário foi conquistado e como é que a sua construção se tornou uma realidade em 1974? O casal Maria Raquel e António Gabriel Leitão, protagonistas desta etapa de conquista e construção, falou-nos desta fase. Partilharam connosco toda a conquista dos símbolos, a procura e a compra do terreno, muito perto da Torre de Belém e do mosteiro dos Jerónimos, onde o Pe. Kentenich tinha estado a caminho do Brasil.

Por fim, o casal Zita e Manuel Luís Marinho Antunes partilharam connosco o PARA QUÊ: Para que é que existe um Santuário de Schoenstatt em Lisboa? Qual é o seu ideal e missão? Zita e Manuel Luís contaram-nos como foi o processo de procura do ideal do Santuário Cenáculo da Família do Pai. Como Santuário Cenáculo, é filho do Santuário de Bellavista e tem a missão de ser uma ponte de evangelização renovada da América Latina para a Europa, enfatizando o sentido de família, os vínculos e a forte ligação filial com o nosso Pai e Fundador e com Deus Pai.

Sua missão para o mundo de hoje

A nossa Jornada teve também um momento de partilha sobre a vida do nosso santuário hoje e o seu forte impacto na juventude vivido durante a JMJ em Lisboa. Através de vários testemunhos dos nossos jovens pudemos reviver toda a vida que se gerou à volta do Santuário durante a JMJ de Lisboa. Foi muito valorizado o empenho e a ajuda de toda a Família de Schoenstatt de Lisboa que, incansavelmente, ajudou a tornar possível este encontro mundial. O Festival da MTA, ocorrido antes da semana da Jornada, foi um encontro inesquecível da nossa juventude internacional à volta do Santuário e um marco nos nossos encontros de jovens de Schoenstatt.

O nosso dia de Jornada de Outubro terminou com a celebração eucarística à sombra do Santuário. Nesta missa houve um gesto simbólico de entrega da luz da geração fundadora à nossa geração mais jovem. Rezámos também pela primeira vez a oração jubilar escrita especialmente para acompanhar o jubileu.

O casal Maria Raquel e António Gabriel Leitão recebem a vela e repassam a chama à geração atual

Vale a pena mencionar também que obtivemos de Roma uma indulgência plenária para todos aqueles que visitarem o Santuário durante este ano jubilar, até 15 de setembro de 2024. Sem dúvida, um grande presente da Divina Providência para a Família de Schoenstatt de Lisboa.

Share

with your loved ones

Related articles that may interest you