Procurar
Close this search box.

Schoenstatt
Movimento Apostólico

Dicas para quem quer começar a ler a Bíblia

By: Pe. Marcelo Adriano Cervi

Neste dia 21 de janeiro, III Domingo do Tempo Comum, pela quinta vez vamos celebrar o “Domingo da Palavra de Deus”, instituído pelo Papa Francisco em 2019 com o Motu Proprio “Aperuit illis”.

O tema escolhido pelo Papa, para este ano de 2024, foi tirado do Evangelho de João: “Permanecei na minha Palavra” (Jo 8,31).

O objetivo principal deste domingo é promover “a celebração, reflexão e divulgação da Palavra de Deus”. Para isso, no n. 3 do Motu Proprio, são dadas várias indicações, entre as quais “fazer emergir a importância de continuar na vida diária a leitura, o aprofundamento e a oração com a Sagrada Escritura, com particular referência à lectio divina”.

Dicas para ler a Bíblia

Todo cristão deve ter a Palavra de Deus como referência da sua vida de fé e como alimento da sua espiritualidade. Esta Palavra se encontra de maneira privilegiada na Bíblia que, graças a Deus, tem sido mais conhecida, lida e estudada de alguns anos para cá.

Entre os muitos conselhos que eu gostaria de dar para quem inicia a leitura sistemática e orante da Bíblia destaco, sobretudo, dois:

a) Ler a Bíblia em forma orante

Ou seja, não tomar o texto sagrado como um livro qualquer, procurando realizar a leitura bíblica como um encontro com o Deus Vivo e Verdadeiro. Para isso, ajuda bastante o método da Leitura Orante da Palavra de Deus, também conhecida como Lectio Divina.

b) Evitar toda leitura fundamentalista

Em outras palavras: considerar o texto no seu contexto, não tomando as palavras de forma literal. Em vista disso, é importante estudar a Sagrada Escritura frequentando um dos inúmeros cursos ou grupos de leitura bíblica disponíveis, inclusive online.

Qual a melhor sequência para ler os livros da Bíblia?

Muitos me perguntam sobre a melhor sequência para a leitura bíblica. Considero que a resposta deve ser personalizada, porque o método escolhido depende muito do interesse de quem lê, das suas buscas pessoais, dos seus objetivos com a leitura da Sagrada Escritura.

Num grupo de leitura bíblica online que assisto teológica e espiritualmente – o Theophilus – optamos por oferecer a leitura bíblica em ordem cronológica (ou seja, de acordo com os tempos nos quais os livros foram escritos), que diferencia um pouco da sequência canônica (ordem dos livros como está nas edições bíblicas católicas). É um dos muitos métodos, bastante frutuoso, enriquecedor e espiritual, graças também às introduções, comentários e pistas dos instrutores.

Não apenas ler, mas compreender

Um princípio importante para a leitura bíblica é procurar ler e entender a Bíblia como faz a Igreja, renunciando a uma interpretação muito pessoal e talvez abusiva. Digo sempre que precisamos de muita humildade diante da Sagrada Escritura. Humildade diante de Deus (pois a Palavra é Dele e não nossa) e humildade diante da Igreja (pois muitos santos e estudiosos leram a Escritura antes da gente e podem nos ajudar a entender melhor o que lemos).

De acordo com esse princípio, é sempre bom suplicar ao Espírito Santo que ilumine a nossa leitura e conceda o discernimento e é sempre importante pedir a Nossa Senhora (que guardava a Palavra no coração) a graça de compreender a mensagem.

Também é bom perguntar aos Pais e Doutores da Igreja o que compreenderam do texto lido, consultando obras de referência, como os comentários patrísticos e teológicos.

Alguns dizem que o importante é ler. Penso que tão importante quanto ler, é compreender! Por isso, agradeço a Deus a sede da Palavra que tem sido colocada no seu Povo e agradeço à Igreja Católica a possibilidade de aceder às Sagradas Escrituras com instrumentos úteis para uma correta compreensão.

Fonte: Schoenstatt Brasil – schoenstatt.org.br

Share

with your loved ones

Related articles that may interest you

Pope Emer

A biografia de Bento XVI

Jospeh Ratzinger recebeu a Ordenação Sacerdotal em 29 de junho de 1951. Em 25 de março de 1977, o Papa Paulo VI nomeou-o arcebispo de München e Freising. Em 28 de maio seguinte, recebeu a sagração episcopal. Paulo VI criou-o cardeal no Consistório de 27 de junho desse mesmo ano.

Read More »