Querida Família de Schoenstatt, Desejo carinhosamente bênçãos a todos neste dia da Aliança! Mais uma vez queremos renovar a nossa Aliança de Amor com a Mãe de Deus no Santuário de Schoenstatt. Cada um de nós o fará em seu Santuário filial, em algum lugar do mundo, ou no Santuário Original. O importante é que renovemos a força secreta da nossa vitalidade. Sem a Aliança de Amor nada foi feito em Schoenstatt. Todos sabemos, no entanto, que nada se faz nas nossas vidas sem Capital de Graças. Isso faz parte do nosso compromisso com a Mãe de Deus: nada sem Vós, nada sem nós!

Pequenos, mas também grandes propósitos

Em nossa Família expressamos o Capital de Graças com propósitos diários, pequenos e diários. Mas também, grandes propósitos que talvez nos ocupem toda a vida. Sabemos que Maria é sempre fiel à Aliança “com abundantes graças e bênçãos”. Nós, em troca, que desejamos ser seus pequenos instrumentos, nos vemos limitados pela nossa fragilidade. Mas nos colocamos diariamente em suas mãos, porque a nossa pequenez atrai o coração de Deus Pai e da Mãe de Deus.

Assim, tudo ganha sentido

O material do nosso Capital de Graças, o encontramos na rotina diária de nossas vidas. É assim que tudo ganha sentido, toda alegria, todo amor, toda dor, todo apostolado, todo trabalho que temos que fazer. Não é difícil encontrar o material para o nosso Capital de Graças, basta observar com os olhos de Deus o que temos para viver. É assim que toda a nossa vida faz sentido, e mesmo nas maiores dificuldades que temos que viver, ela recebe uma luz esclarecedora da nossa Aliança de Amor.

Contato diário simples de nossos corações

Mãe, sei que estás sempre cuidando de mim, em todas as circunstâncias: esta é a nossa invocação diária. Se enraizarmos o nosso amor no coração dela e do seu Filho, viveremos em uma atmosfera que nos permitirá passar pelo fogo. Por isso, nosso vínculo com Deus não consiste em pura especulação sobre sua existência e suas propriedades, mas no simples contato diário do nosso coração com o coração de Maria e de seu Filho. Nela encontramos a nossa morada, o nosso ninho humano e divino, e assim peregrinamos rumo à morada do céu. Precisamos, porém, que este contato vital com Deus se concretize no contato de amor com os nossos irmãos e irmãs. São João adverte-nos seriamente: “Quem diz que ama a Deus e não ama os seus irmãos é mentiroso” (1Jo 4,20). Todo o nosso Capital de Graças está assim orientado para o amor concreto ao próximo. E essa é a dinâmica da Aliança, o Santuário nos atrai à Mãe de Deus e a Mãe de Deus nos envia a oferecer tudo por amor ao próximo. A comunhão com Deus comunica-se misteriosamente com a comunhão com os irmãos. Que este dia da Aliança renove a nossa disposição de viver esse intercâmbio com a nossa querida Mãe de Deus e com o Pai Misericordioso, em favor de todos, sem deixar ninguém de fora, mas atraindo todos para o Deus Trino. Pe. Alejandro Blanco União Internacional dos Presbíteros de Schoenstatt Secretário Geral